Lições Aprendidas: Atypical (Season 01)

A nova série da #Netflix aborda o tema autismo de uma forma leve, com romance e referências ao mundo dos peguins.

Quando vi as pessoas comentando que Atypical era uma boa dramédia, fiquei empolgada de poder desfrutar do estilo, pois amei #DearWhitePeople. Na minha humilde opinião, é essencial ter filmes e séries que abordem temas importantes como este. Porém, sempre é melhor quando entretenimento e mensagem é alinhado de tal forma que se torna inesquecível para o público. E #Atypical consegue entregar isto!

Vários Níveis de Autismo

Sou leiga no assunto e fiquei surpresa de saber que existem vários níveis em relação ao autismo. Por exemplo, Sam é uma raridade, pois consegue levar uma vida praticamente “normal”. Ele se comunica com facilidade, frequenta uma escola e ainda trabalha!

Mesmo com todas as dificuldades que ele apresenta, ele está em um nível avançado em relação a muitos outros autistas. A série deixa isto claro ao mostrar as outras mães do grupo de suporte que Elsa participa.

Autistas também amam!

Uma das coisas que é mais divulgada quando se fala em autismo é a falta de empatia e sentimentos. Esta série mostra claramente que eles tem sua própria forma de amar, possuem sentimentos e querem viver normalmente.

 

Então, é interessante como o roteiro explora as diferenças que Sam apresenta das outras pessoas. Ele quer sim conexão humana como qualquer um, contudo para ele é mais díficil, pois não consegue entender o interagir da forma convencionada pela sociedade.

Relacionamentos são complicados

A premissa é Sam descobrindo sobre o amor. Entretanto, a série dá espaço para a irmã dele, Casey, também iniciar na vida amorosa. Sem falar na crise do casamento dos pais deles. A questão é que relacionamento, independente de ser um autista ou não, sempre é complicado.

Até Júlia, a terapista que em teoria deveria ter todas as respostas, está perdida em um relacionamento fracassado. No fim, tudo é díficil pois somos humanos e não peguins. Enquanto os habitantes da Antártida são leais aos seus parceiros, nós continuamos traindo a quem mais amamos por desejos egoístas.

Por fim, #Atypical é uma dramédia que você embarca e nem vê o tempo passar. Um roteiro leve, mas que sabe explorar os dramas que possui. Uma das melhores coisas da série é como uma autista pode tentar viver o máximo da normalidade da vida. Como conseguir ter uma namorada ou simplesmente ir ao baile da escola. Esperando ansiosa para a renovação da série!

Anteriores

17 Weeks: Semana 03

Próximo

Book Review: Onze Minutos (Paulo Coelho)

2 Comentários

  1. Eu tava bem curiosa quanto a essa série, vejo frases e cenas e achei que seria legal. Curti a resenha, vou tirar um dia para ver o 1º episódio!

Deixe uma resposta

Desenvolvido & e mantido por isAgile