Debate: Série “O Mecanismo”. Ficção X Realidade?

Uma obra de ficção baseada em fatos reais, deve ter compromisso com a realidade?

A polêmica que envolve a série traz à tona uma discussão: uma obra audiovisual de ficção que é baseada em fatos reais deve ter liberdade de dramatização (leia-se alterações dos fatos), ou deve manter o compromisso com a veracidade da história?

O Mecanismo é a nova série brasileira original da Netflix, criada por José Padilha e Elena Soárez. A primeira temporada tem 8 episódios e foi lançada em 193 países, no dia 23 de março. A série é livremente inspirada na maior investigação de corrupção do Brasil, a “Operação Lava Jato” que, desmontou (e desmonta) um esquema envolvendo estatais, empreiteiras e políticos de grande nome. Um dos maiores escândalos da história do nosso país.

Sinopse

Marco Ruffo (Selton Mello) é um delegado aposentado da Polícia Federal obcecado pelo caso que está investigando. Quando menos espera, ele e sua aprendiz, Verena Cardoni (Carol Abras), já estão mergulhados em uma das maiores investigações de desvio e lavagem de dinheiro da história do Brasil. A proporção é tamanha que o rumo das investigações muda completamente a vida de todos os envolvidos.

Polêmica

A série vem causando muita discussão e polêmica desde o dia da estreia. Uma parte da polarizada política brasileira se sentiu prejudicada, ao sofrer adaptações de roteiro que não condizem com a verdade. A frente de esquerda acusa a série se ser mentirosa e de propagar “fake news”. Os criadores já se posicionaram e alegam que a produção é apartidária e faz sim mudanças nos fatos, visto que é uma obra de ficção.

Então, como acusar uma obra de ficção de faltar com a verdade? Complicado, não é mesmo? O pior é que as principais alterações feitas pela série, não são nada, se comparadas à complexa realidade de tudo.

Opinião

A pior falha de O Mecanismo, talvez não seja a escolha capciosa de alterar frases, personagens e ordem dos fatos. Os criadores sabiam o que estavam fazendo e da repercussão que isso iria gerar. Se a obra se diz: “Livremente baseada em fatos reais”, deve se entender que, ali não há compromisso com a verdade. Eu, enquanto espectador, defendo a liberdade de dramatização em uma obra de ficção. MAS…

A série peca ao vender Selton Mello como protagonista, pois ele não é. Tem uma trama “ok”, mas erra feio tecnicamente. Uma fotografia estranha/escura, uma narração em off demasiadamente expositiva, que vai se tornando maçante ao passar dos episódios. Uma péssima edição/mixagem de som que, por muitas vezes, faz você não entender o que os atores estão falando. Um texto repetitivo e genérico que, parece querer causa impacto a cada frase.

__________________________________________________

E você, o que acha? Deixe sua opinião de forma “isenta” nos comentários. Uma obra de ficção baseada em fatos reais pode alterá-los como forma de dramatização?

Por, diogolimma

Anteriores

17 Weeks: O Fim

Próximo

Book Review: Roube Como um Artista (Austin Kleon)

  1. Gis

    Realmente a narração é muito maçante! Eu pensei que seria bem interessante a série visto que os filmes tropa de elite 1 e 2 foram muito bons!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén