Resultado de imagem para animais noturnosUm filme sobre o egoísmo humano e a vingança triunfal.

Já faz algum tempo que assisti esse filme. Eu fiquei em êxtase. Não é todos os dias que você assiste uma história tão complexa e bem escrita. Sem falar na mensagem que o filme passa. Descobri que como escritora tenho mais poder do que poderia imaginar. Não só posso criar mundos e personagens, mas também transformar a realidade das pessoas.

A Trama

O filme é sobre Susan. Uma mulher linda, inteligente e rica. Aparentemente, tem a vida perfeita. Seu mundo fica abalado quando recebe o livro de seu ex marido, Edward, e começa a vivenciar a história. Assim, conhecemos uma segunda história, a do livro, e uma terceira, o passado de Susan e Edward.

O Roteiro

Não tenho palavras para elogiar tamanha genialidade do roteiro. Sei que muito se deve a edição e montagem do filme que conseguiu conectar muito bem as tramas. Mas, sério, sem um roteiro tão bem estruturado e forte, Animais Noturnos não seria nada.

O tema do filme é vingança. As histórias são sobre como o egoísmo de uma pessoa pode acabar com a vida de outras. Susan parece frágil, inocente ou até uma vítima no início. Mas conforme conhecemos um pouco mais sobre seu passado, percebemos que Susan foi um monstro. Assim como Ray, o estuprador e assassino da família de Edward na história do livro.

A atual vida de Susan é a prova de que colhemos o que plantamos. Ela está sofrendo as consequências de suas escolhas. Edward apenas retorna com seu livro em um momento oportuno para fazê-la ter consciência de tudo o que fez. E passar a mensagem que ele superou. É um novo homem. O velho Edward morreu, junto com sua família. E a culpada disso é Susan. Agora, é ela que sofre por suas ações. Uma vingança em formato de livro (Palmas lentas!!!),

Parte Técnica

Como disse anteriormente, o filme é uma obra de arte. Desde seu roteiro bem estruturado até sua fotografia e montagem. É graças a essa parte técnica que a história flui de modo que ficamos ansiosos pelas próximas cenas. As tomadas são realizadas de tal modo que podemos praticamente estar junto de Susan. Vivenciando tudo aquilo.

Por fim, só tenho que elogiar mais uma brilhante atuação de Amy Adams (Ainda chateada pela falta de nomeação ao Oscar) e Jake Gyllenhaal. Aliás, Jake ultimamente está sempre arrasando em filmes no estilo thriller psicológico. Agora estou ansiosa para ler o livro que inspirou o filme. Esperando que seja tão bom quando a adaptação de Tom Ford.