Uma jornada sobre amadurecimento. A passagem do bastão da adolescência para a vida adulta. Um passarinho que precisa voar em busca de sua liberdade.

Lady Bird: Roteiro despretensioso e cativante de Greta Gerwig sobre a difícil fase de transição, idealismo juvenil, e uma realidade frustrante. Bem-vindo à vida adulta!

Sinopse:

Christine McPherson está no último ano do colégio e o que mais deseja é fazer faculdade longe de sua cidade: Sacramento, ideia rejeitada por sua mãe. Lady Bird, como a garota se autointitula, não se dá por vencida e leva o plano de ir embora adiante mesmo assim. Enquanto a hora não chega, ela se divide entre as obrigações estudantis no colégio católico, o primeiro namoro, típicos rituais de passagem para a vida adulta e inúmeros desentendimentos com a mãe.

Greta Gerwig, voa solo

Dirigido e escrito por Greta Gerwig (de Frances Ha, 2012), Lady Bird é uma homenagem à sua cidade natal: Sacramento. Que, apesar de não ser um filme autobiográfico, se confunde com a história de sua vida. Em seu primeiro longa solo como diretora, Greta aborda, com sensibilidade ímpar, um tema comum à maioria das pessoas. Estar na pele de um adolescente prestes a se tornar adulto, que não se encaixa e que deseja voar com suas próprias asas.

Troca de Pele

Quem não viveu as efervescências da adolescência que atire a primeira pedra. Insegurança, busca pela sua própria identidade. Medos bobos versus coragem absurda. Querer impressionar, querer ser notado. E a cada frustração é um fim do mundo diferente. Uma relação calorosa (te amo/te odeio) com familiares e amigos.

Lady Bird retrata a essência dessa fase da vida. Imediatista, dramática, e com um sentimento de contestação sobre tudo. Querer viver tudo e, querer morrer por qualquer coisa. Na honestidade da história e dos seus diálogos banais é que se percebe o diferencial do filme. Impossível não se identificar.

5 Indicações ao Oscar

Aos 23 anos, a talentosa Saoirse Ronan, recebe sua terceira indicação ao Oscar de Melhor Atriz, por Lady Bird, após os premiados Desejo e Reparação (2007) e Brooklyn (2015). Laurie Metcalf, que interpreta mãe de Lady Bird, está impecável e também está indicada como Melhor Atriz Coadjuvante. O filme conta com mais 3 indicações: Melhor Roteiro Original, Melhor Filme e Melhor Direção para Greta Gerwig, que se tornou a quinta mulher a receber essa indicação, em 90 anos de premiação.

Somos todos Lady Bird

Com uma estética de filme alternativo/indie, Lady Bird chama atenção por compor de maneira tão orgânica esse universo. Interpretações tão naturais e cativantes e situações tão comuns à maioria de nós. E é aí que o filme triunfa. Ao captar em cada espectador, sua fase Lady Bird. Um filme simples, mas dotado de profundidade, no qual é preciso um pouco de sensibilidade para perceber nas entrelinhas, sua grandiosidade.

Uma deliciosa e leve reflexão sobre viver, errar, aprender e seguir em frente. Delicado, simples e verdadeiro.

Por, @diogolimma