As empresas parecem ter descoberto a importância da ficção para encantar clientes, atrair talentos e transmitir valores para a sociedade. Entenda mais sobre o papel da ficção no mundo organizacional.

Ainda existem algumas pessoas que questionam a razão do meu site ser uma mistura de temas. Sou escritora e administradora e escrevo sobre os dois temas, ainda que possa ser considerado por muitos como temas diferentes.

Contudo, há uma forte conexão entre gestão e contar uma história.  A comunicação é um dos principais desafios da sociedade, ainda mais com a globalização, do mundo corporativo. Com isto, a ficção se tornou uma ferramenta para a administração de modo a envolver as pessoas e passar sua mensagem pela história. Então, segue aqui alguns exemplos de técnicas comuns atualmente na gestão por meio da ficção.

Storytelling

Esta é a principal metodologia atualmente e vem crescendo substancialmente em popularidade. Com a competitividade, as empresas se destacam pelo relacionamento que cria com seus clientes. Não é apenas a fidelização em si por meio de algum produto ou serviço.

Resultado de imagem para storytelling

As pessoas sentem a necessidade de conexão com organizações que tenham os mesmos ou similares valores . Por meio das histórias contadas, as empresas vendem o conceito que representam e os clientes estabelecem um vínculo maior do que apenas o ato de compra e venda.

Gamification

Esta é a nova tendência para aumentar a produtividade e engajamento dos colaboradores. Por meio de jogos lúdicos, as empresas envolvem também sua equipe para cumprir a missão da organização.

É maior que apenas gerar competitividade para atingir resultados. O Gamification é um conceito para atrair e reter talentos. Afinal, a concorrência acirrada no mercado não é apenas por clientes, mas também por pessoas com habilidades de transformar as organizações.

Busca de Soluções

Ainda estamos engatinhando nesta questão, porém muitas organizações já reconhecem o poder da criatividade na criação de soluções. A ficção nada mais é que utilizar esta competência para criar uma metáfora da vida real, gerando reflexão sobre determinado tema. Alguns livros famosos, como “O Monge e o Executivo” e “A Meta”, utilizam da ficção para tratar de temas recorrentes e essências no mundo corporativo, como liderança e gestão de equipe respectivamente.

Diante desses exemplos, podemos perceber que existe uma ligação forte entre as áreas que já está sendo explorada atualmente. Porém, ainda temos um longo caminho para utilizar ao máximo dos benefícios de uma história criada para pensar e gerar resultados. Portanto, defendo que a ponte ente ficção e gestão são essenciais para que possamos desbravar os novos desafios proporcionados pela era digital.  No fim das contas, todos somos contadores de histórias, nem que sejam apenas das nossas próprias vidas.