girl-with-imagination

Quais são os elementos essenciais para um escritor? Existem vários e gostaria de compartilhar com vocês o que é essencial para as minhas histórias e, por consequência, para The 29 Chapters.

  1. Ideia que me inspirem

Geralmente, escritores precisam de inspiração para escrever. Comigo não é diferente. Talvez a diferença seja que no meu caso a inspiração sempre vem da ideia principal da história. O que realmente desejo passar com aquela história, mesmo que seja algo simples e voltado para o entretenimento, e como aquilo me motiva a escrever.

  1. Histórias que eu leria

Como leitora, sou bem crítica e adoro diversidade – De histórias, lugares, personagens, etc. Logo, outro critério que utilizo para iniciar uma história é se eu leria aquela história. Por mais que eu goste de vários estilos, meu tempo é curto e tento aproveitar com histórias que realmente me prendam a atenção. Desse modo, posso ter várias ideias que me inspirem, mas só vou segui-las se for aquela ideia que vai se transformar em uma história que eu, como leitora, amaria ler.

  1. Desenvolvimento de personagens

O que mais me atrai em uma história é quando seus personagens são desenvolvidos e acabam sendo pessoas diferentes (Não necessariamente melhores) de quando o conhecemos. Se a história tem uma ideia principal, uma mensagem que deve ser passada, então nada melhor que isto altere os personagens, de modo negativo ou positivo. O que importante é que a mudança seja feita ao longo da trama.

Isso é tão importante para mim que já desisti de várias histórias (Séries e livros) quando percebi que isso não estava acontecendo… Tão importante quanto passar uma mensagem com a história, por mais simples que esta mensagem seja, é o desenvolvimento dos personagens… Personagens que não são desenvolvidos ou não tem nada a acrescentar, não serão lembrados ou vivenciados pelo leitor (Isto na minha humilde opinião de leitora).

E a minha inspiração para o desenvolvimento destes personagens vem da mesma fonte das minhas ideias para história: a vida! Eu gosto de observar as pessoas ao meu redor, assim como gosto de ficar inspirada por boa música, excelentes filmes, maravilhosas séries e grandes livros! Quem nunca leu/assistiu ou viu algo e teve vontade de escrever a sua própria versão? Quem é escritor de fanfic, ou até mesmo leitor, entende o que quero dizer. Cada um pode pensar em sua própria versão de determinada história e eu apenas crio as minhas seguindo um misto louco e múltiplo de inspirações para criar personagens complexos e cativantes, que são interessantes durante toda a sua jornada de desenvolvimento.

  1. Músicas que “representem” a história

Eu sou viciada em trilhas sonoras. Quem nunca se apaixonou por aquela música que tocou na cena tal? Ou pela música que a autora ou personagem comentou no livro? Eu sou um exemplo clássico de ser o tipo de escritora que imagina cenas e personagens dos livros com músicas especificas. Aliás, tenho várias histórias que foram inspiradas por músicas, ou seja, consegui a ideia central por causa de alguma música. E, muitas vezes, são as músicas que motivam a escrever… Eu adoro escrever e escutar música, um hábito que faço para minhas histórias e trabalho mesmo, afinal tudo fica melhor com música.

  1. Planejamento da História

Minhas histórias só começam a ganhar “corpo” quando eu inicio o planejamento dos 29 capítulos. Sim, eu preciso planejar cada capitulo, ainda que seja só uma frase para ser meu guia enquanto escrevo, de modo a seguir a lógica da história de início, meio e fim. Como passar uma ideia/mensagem central e desenvolver os personagens sem planejar sua história? Juro que eu tentei iniciar sem planejamento (E como já comentei no primeiro post, saiu um capitulo de 25 páginas nada atrativo) e não gostei do resultado. Desde o momento que comecei a planejar os capítulos e a lógica que a história deveria seguir, tudo ficou mais claro na minha mente, inclusive a própria personalidade dos personagens e até onde eu poderia ir com cada um.

  1. Deixar a história fluir

Por mais planejamento que eu faça para a história, nada melhor do que deixar a minha imaginação fluir. Então, é algo completamente comum eu refazer o planejamento das histórias adequando as novas ideias que vou tendo, assim como as novas métricas que posso ir criado, sempre procurando pela melhor maneira de contar uma história.

  1. Quando todos os elementos funcionam em conjunto

Por mais interessante que a ideia seja, ela não funciona se não me atrair como leitora. Mas se a ideia é boa, me atrai como leitora, porém os personagens não chegam a lugar nenhum no final, nem adianta que não vou seguir em frente. E, assim por diante, todos os elementos acima citados precisam funcionar em sintonia, de modo que as histórias sejam um adicional para o mundo da leitura. Afinal, o que não falta são grandes e maravilhosas histórias para ler… E esse talvez seja o elemento mais difícil de conseguir: Fazer com que a sinergia da história seja boa o suficiente para ela ser um diferencial e não apenas mais uma.

Enfim, existem tantas outras coisas que são tão importantes entre a ideia inicial até a finalização de uma história (Ex: Uma beta maravilhosa como a minha… Bjosss, Lorena Silria!) e que aos poucos vou compartilhando toda essa maravilhosa experiência que é dar vida a minha imaginação.

Texto publicado originalmente no blog The 29 Chapters  em 05/11/2015.