DSC_0014

Um dos pilares do Design Thinking é a empatia. Você precisa ser empático para entender os problemas, as dores, e os desejos dos seus clientes, assim como as variáveis que envolvem seu mundo e suas percepções. Com isto, você inicia o processo de criação de solução.

Ser empático é um dos conceitos que fizeram a metodologia do Design Thinking ser um grande sucesso, pois proporcionou que as empresas focassem mais em que o cliente precisava e queria e não apenas no produto/serviço mais lucrativo para a organização.

Ao utilizar a abordagem do Design Thinking, você está dizendo ao mundo que sua empresa se preocupa com as pessoas e busca soluções inovadoras para elas. Mas o que você faz para as pessoas que constroem a sua empresa? As pessoas que são responsáveis pela criação de soluções para seus clientes?

Dentre os vários desafios que um gestor de pessoa tem que lidar diariamente, ter empatia com seus colaboradores pode ser a resposta para a maioria das perguntas. É a partir da utilização desse conceito que o líder poderá entender melhor os anseios, as necessidades e as dificuldades de seus liderados e agir de forma que possam trabalhar em equipe para gerar os resultados esperados.

O papel da área de Recursos Humanos é justamente criar os projetos e as ações organizacionais de acordo com as linhas estratégicas da instituição que atendam os desejos ou reduzam as dores de seus colaboradores. Neste momento, o gestor integra a equipe do projeto, pois ele que irá fornecer os insights do cliente interno, ou seja, das pessoas que lidera.

Portanto, não limite o uso da metodologia aos clientes externos. Eles, sem dúvida, são importantes, mas lembre-se: Ser empático depende de pessoas. A empresa precisa delas para ser o que é e seus colaboradores necessitam também de um olhar mais humano para criarem soluções.

Texto publicado originalmente no site da Framework em 29/11/2016.